Nota em Repúdio à Violência Policial contra às Mulheres na Feira do Livro Feminista e Autonôma de PoA

flifea

As individualidades e coletivos que estão se juntando na organização da 6ª Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre, achamos pertinente, junto com nosso apoio nas ruas, expressar nossa posição sobre a agressão de que sofreram algumas ativistas da Feira do Livro Feminista e Autônoma de Porto Alegre.

No domingo, dia 01 de novembro de 2015, a Feira do Livro Feminista e Autônoma de Porto Alegre, que estava acontecendo em uma praça do bairro Santana sofreu um ataque brutal e covarde pela Policia Militar. Ao final do terceiro dia de atividades, enquanto ensaiavam, as ativistas foram abordadas, filmadas e atacadas pela PM, ferindo várias delas sendo quatro gravemente. As participantes foram ameaçadas, inclusive com arma de fogo, tiveram celulares roubados pelos policiais e foram perseguidas pelas ruas.
Sabemos que essa ação da policia não é isolada, que os ataques às mulheres, ao povo negro, às manifestações sociais não são novidade. Entretanto, nosso repúdio é ainda maior pelo caráter misógino desse ataque. Não existe outra razão para esse tipo de repressão. As mulheres da FLIFEA foram atacadas por serem mulheres e feministas e estarem se organizando reivindicando-se como tal. Essa agressão, executada através da instituição do estado demonstra mais uma vez que a polícia não está aqui para proteger a população, mas im, somente para servir os interesses do estado (que, independentemente de quem estiver sentadxs nas cadeiras das suas oficinas, seguirão reprimindo qualquer iniciativa autônoma).

Diante disso, sabemos que nenhuma agressão tão covarde pode ficar sem resposta. Assim, manifestamos nosso repudio à violência ocorrida. Combatemos esse tipo de repressão não nos calando e seguindo nas ruas, junto com elas na caminhada, até onde apesar das nossas diferenças podemos andar num mesmo caminho: Até o eterno retorno ás instituições do estado. Desde a tendência á anarquia, não podemos não manifestar nosso rechaço absoluto a todo o que tem a ver com a ordem estatal, cidadã e democrática. Porém, nosso apoio esteve presente no momento certo, e nosso repudio ao covarde ataque permanece, assim como nosso apoio com aquelxs que seguem buscando e criando a autonomia , fazendo frente com firmeza às instituições do estado.
As feiras autônomas continuarão acontecendo independente das sanções e perseguições dos aparatos do Estado.